Retorno das Competições Internacionais de Tênis de Mesa será na China

Brasileiro Hugo Calderano está classificado para os dois eventos masculinos

Hugo Calderano - Brasil - Foto: ITTF

Depois de meses de paralisação devido à pandemia do novo coronavírus, as competições internacionais de tênis de mesa retornarão em novembro. E o país que receberá a série especial de eventos, chamada de #RESTART - "Recomeço", em português, será a China, onde em dezembro de 2019, surgiram os primeiros casos de Covid-19. Serão três torneios: as Copas do Mundo individuais masculina e feminina e o ITTF Finals, que reunirá os melhores da temporada em cada naipe.

O brasileiro Hugo Calderano está classificado para os dois eventos masculinos: garantiu-se na Copa do Mundo após o título da Copa Pan-Americana deste ano, em fevereiro, e tem vaga no ITTF Finals por ocupar a sexta posição do ranking mundial - a melhor de um atleta das Américas desde que a lista foi instituída, em 1987.

O calendário internacional foi interrompido em março deste ano devido à pandemia do novo coronavírus. Toda a programação foi cancelada ou suspensa, desde as etapas do Circuito Mundial até o Campeonato Mundial por equipes, que, após dois adiamentos, acabou confirmado para fevereiro e março de 2021.

Assim como vem acontecendo com outros grandes eventos esportivos, a Federação Internacional de Tênis de Mesa (ITTF) criará uma "bolha", além de um rígido protocolo, para que atletas, treinadores, árbitros e demais envolvidos nas competições estejam protegidos em todos os aspectos sanitários.

"Garantir um retorno seguro aos eventos internacionais tem sido nossa prioridade máxima desde o início da pandemia. Então, estou muito satisfeito em anunciar que, com o fantástico apoio e intenso trabalho de todos na ITTF ao longo de muitos meses, conseguimos retomar os eventos antes do fim de 2020", afirmou o presidente da ITTF, Thomas Weikert.

A Copa do Mundo seguirá o modelo habitual, com 20 participantes. Já o ITTF Finals, normalmente disputado em dezembro, terá 16 atletas em cada naipe, com, no máximo, quatro representantes por país. Todos os eventos contarão pontos para o ranking mundial. Nas próximas semanas, o ITTF deve divulgar os atletas participantes, datas e demais detalhes dos eventos.

Crédito: Jornal do Comércio



Comentários

eBook