A chance de Goutier Rodrigues nos Jogos Parapan-Americanos de Lima 2019

Aos 40 anos, Goutier Rodrigues, recebe a oportunidade de representar o Brasil nos jogos Parapan-americanos de Lima, no Peru. O amazonense é pai de cinco filhos e professor de educação física.

Goutier Rodrigues - Brasil
O amazonense é pai de cinco filhos e professor de educação física.A história de Goutier Rodrigues é repleta de superação. Aos dois anos de idade recebeu uma injeção mal aplicada resultando na inflamação do nervo ciático e atrofia dos membros inferiores. Desde então, ele luta contra diversos obstáculos no esporte e na vida. “Eu como deficiente físico, quando criança não tinha muita oportunidade de brincar, eu ia ver meus primos jogar bola na rua e eu não podia porque não sabia correr” revelou. 

O paratleta conheceu o tênis de mesa como esporte, quando visitou pela primeira vez a Associação de Deficientes Físicos do Amazonas (ADEFA), porém muito antes já ensaiava treinos em casa. “O tênis de mesa a gente conhece desde pequeno, brincando na mesa que a gente almoça, coloca ali uma vassoura ou algo assim e já joga” disse. “A ADEFA me proporcionou vivenciar e praticar vários esportes paralímpicos” afirmou Goutier que disputa a Classe 6 (para atletas com combinação de deficiências no braço que joga e nos membros inferiores).

Sobre seus tempos de aluno, ele conta que passou por dificuldades na relação com os esportes, devido ao despreparo dos profissionais de educação física na época. “Uma vez fiquei super chateado, que um professor de educação física falou para eu ficar sentando, apenas olhando, para que eu não me machucasse”. Hoje, Goutier é professor de educação física em três escolas, ele comentou como ajuda seus alunos que possuem algum tipo de deficiência. “Eu procuro, pelo tênis de mesa, proporcionar coisas boas para outras pessoas tanto para as deficientes, quanto para as não são e também passar a mensagem de que vale a pena acreditar no esporte, que vale a pena a gente sonhar” completou. 

Selecionado para o Parapan-Americano, o amazonense é o terceiro colocado no ranking nacional de tênis de mesa. A esposa de Goutier, Daniele Lima, comentou o esforço do paratleta em todos os âmbitos de sua vida. “Ele é um marido muito esforçado, assim como na profissão dele de professor, sendo pai também e nada disso impede os treinos dele. Às vezes fica difícil de todos ficarmos juntos, mas sempre que ele consegue um tempo, ele fica com a gente”. Goutier é pai de cinco filhos e sempre que viaja para as competições precisa deixar a família em Manaus devido ao custo das passagens e hospedagem. “Ele vai sozinho, porque tudo sai do nosso bolso, então fica complicado da gente acompanhar. Sempre estamos tentando manter contato com ele, a família é a base de tudo. Nós sempre estamos incentivando ele” declarou. 

O técnico de Goutier na Associação Esportiva Manaus (AEM) é Matheus Souza, de 20 anos, ele explicou a rotina de treinos do paratleta. “Ele treina com a gente na segunda, quarta e sexta. Nos outros dias o treino acontece no Centro de Treinamento de Alto Rendimento (CTARA), com o professor Israel Barreto. É um cara muito dedicado, bastante focado e está sempre tentando melhorar os movimentos dele”. 

Focado nos jogos Parapan-americanos, Goutier garante que as chances de medalha na competição são grandes e que está preparado para qualquer desafio. “Esperei meu momento chegar, há quatro anos que me preparo para isso, é um sonho realizado. Em 2017 na Argentina, fiz a final do Mundial de tênis de mesa contra o atual melhor do mundo, talvez a final seja contra ele de novo e dessa vez estou mais preparado ainda. Essa vaga no Parapan me deu a chance de ter outro sonho que é disputar uma Paralimpíada. Eu quero ser um espelho para que as pessoas vejam que qualquer coisa é possível superar” afirmou Goutier.

Crédito: A Critica

PÁGINA INICIAL








Comentários

Arquivo

Mostrar mais